sexta-feira, setembro 18, 2009

Escrever

Há dias em que escrevo
Porque preciso ficar mais leve...

Há dias em que escrevo pago ao mundo o que devo
E ele o que me deve

Há dias em que escrevo inevitável momento de solidão
Necessário sair da prisão dos pensamentos abafados

Há dias em que escrever é tudo que me resta, mesmo quando tenho
“Poliana” escrito na testa

Há dias, idas, said, sad...triste...dito....edito... me reinvento e não minto
Sou capaz de mudar sempre sem deixar de acreditar no que estou sendo

Há dias em que a caneta é toda dona de mim e das minhas vontades
E rabisca, esboça, risca e coreografa as minhas verdades

Há dias em que escrevo pago ao mundo o que devo
E ele o que me deve, e a vida me bebe em vez de me engolir com fome...

Há dias em que escrevo, pois não escrever não há
Não escrever se torna menos, se torna não estar
Há idas em que escrevo
E assim vou....

Indo desco-brindo.....abrindo novas janelas dentro das casas antigas...
Há dias em que escrevo e nada me falta, palavras preenchem

O papel-balão lindo e colorido que me leva para o céu...vestida de menina...
tomando um sorvete com gosto de sonhos...

Um comentário:

Liliane disse...

Olá Patrícia! Acabo de conhecer e me encantar com suas poesias!!! Me identifiquei com o seu estilo, sobretudo nas imagens poéticas que misturam a experiencia da realidade com os nossos sentidos mais corriqueiros: a sinestesia levada ao grau máximo!... é algo que eu coloco em alguns dos meus textos também. Espero ter o prazer de ter alguns dos meus textos lidos por vc.